Follow by Email

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

A UNIDADE DA SOCIEDADE CONTRA A VIOLÊNCIA

Parece que estamos “chovendo no molhado”. Esta expressão define de modo popular, o que presenciamos nos noticiários sobre a criminalidade e os atos de violência que afloram pelo país afora.
Diante de estatísticas alarmantes, parece que governo e sociedade estão anestesiados e sem rumo. Vejamos as realidades que estimulam a violência no nosso país: População trabalhadora desarmada x criminosos armados até os dentes; Grande índice de crimes x ineficácia ou insuficiência das penitenciarias; Criminosos com armas avançadas x polícia com armas obsoletas ou insuficientes; Grande quantidade de prisões e apreensões de menores x desatualização e ineficiência do Código Penal; Fortalecimento do tráfico de drogas x falta de políticas para o combate ao crime organizado. Além dessas realidades, existem outras que colaboram para tornar o ambiente propício para o aumento da criminalidade, como é o caso das políticas sociais que ocasionam o desemprego, a desigualdade social e a desordem.
Todos nós que formamos a sociedade brasileira devemos participar ativamente das soluções para superar esse câncer que há muito tempo vem desfigurando as famílias e minando as esperanças de construirmos um grande país. Para isso, uma boa sugestão é a organização de fóruns nacionais sobre as políticas públicas para combater a violência. Para tanto, fica imprescindível a participação dos especialistas em segurança pública, como os profissionais do Ministério Público, Judiciário, Polícia Militar e Civil, além dos membros do poder executivo e legislativo, e também todos aqueles cidadãos e cidadãs da sociedade que poderão colaborar para uma busca qualitativa e eficiente para o combate a violência no Brasil, respeitando as desigualdades regionais e as realidades dos tempos atuais, além de ter a ética e a moral como suporte para seus ideais.
Tenho certeza que a população brasileira não suporta mais ver tantas cenas de violência e muitos se sentem e vivem acuados em suas casas.
Termino deixando-lhes uma frase que resume o meu pensamento:

“A criminalidade e a violência são frutos de uma sociedade individualista demais para crer que também é seu dever fazer algo a respeito” (Alessandra Souza).

Nenhum comentário:

Postar um comentário