Follow by Email

quinta-feira, 21 de julho de 2016

A DIFÍCIL MISSÃO DE ENVELHECER

COLUNA DO JORNAL TRIBUNA
DE SETE LAGOAS
Segundo estudo da OMS (Organização Mundial da Saúde), o Brasil até 2050 triplicará o número de idosos, crescendo acima da média mundial, que será o dobro da população atual. Atualmente a população de idosos no Brasil gira em torno de 12,5% e deverá chegar aos 30% em 2050. Ou seja, o Brasil será um país de idosos. Isso causará não só impacto sobre a previdência, a economia e a sociedade, mas principalmente, sobre dia a dia das pessoas.
            E quando o idoso não puder mais viver sozinho e depender da ajuda da família?
Muitos, quando não podem mais viver sozinhos, quer seja pela idade ou condição física, passam a morar com parentes, muitas vezes já casados e com famílias próprias. Então, eles se veem apertados em um espaço exíguo, e a situação piora quando o idoso não consegue mais se locomover sozinho e necessita fazer uso de cadeira de rodas, cadeira de banho e outros acessórios que muda totalmente a rotina familiar.
            Nesse momento, é importante a família se reunir e, juntos, decidir o que melhor fazer para dele cuidar. Nada de criar um clima de desunião, como alguns impõe que não aceitam a internação do idoso num asilo, mais por orgulho e vaidade do que por uma consideração. Às vezes é muito comum, alguns empurrarem a responsabilidade para as filhas solteiras e/ou sem filhos, como se estas não tivessem suas preocupações.
            É preciso levar em consideração a situação atual do idoso. Sua saúde física e mental, sua formação e suas manias, assim como outros aspectos. Sendo que, em muitas vezes, faz-se necessário a contratação de um profissional, como enfermeiro, fisioterapeuta ou o cuidador de idosos, profissão que vem crescendo bastante nos últimos tempos.
            Porém, muitas famílias não têm condições de pagar profissionais para cuidar do idoso. E a solução mais viável para eles seria a internação do idoso num asilo ou casa de repouso. E por melhor que seja a instituição para abrigar idosos, a maioria deles não se sente à vontade e diz que foi abandonada pelos filhos e netos. Esses sentimentos são muito dolorosos e podem até causar uma depressão. Mas, caso essa seja a única alternativa, a família deve ter presença constante para amenizar a solidão e o desconforto de sair de uma casa familiar. Pode-se fazer uma escala diária de visita ou pelo menos três vezes por semana. Assim, o idoso se sentirá mais valorizado e satisfeito por receber atenção, carinho e amor dos que o irão lhe visitar.

            Amigos e amigas, o melhor presente que um filho (a) pode dar para sua mãe ou seu pai é o acolhendo com carinho, com consideração e com amor na sua velhice. Dessa maneira estarão retribuindo um pouco do que eles fizeram quando vocês eram crianças. Faça o melhor que puder para garantir a alegria de viver para os seus pais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário